Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn

Não deixe de ver também: Dukkha: a natureza do Sofrimento

Ilusões da natureza

Apesar de todos os problemas e frustrações da vida, ansiamos pela existência eterna. Isto é devido aos nossos fortes apegos à família e amigos, posses materiais, dinheiro, poder, fama e status. Também nos prendemos ao nosso conhecimento, nossas ideias e ideais, opiniões, conceitos, teorias, crenças e superstições. Nós nos apegamos ao passado, às más lembranças e às emoções negativas, aos nossos gostos e desgostos, e nos preocupamos com o futuro. Nós nos apegamos a nossos corpos e à aparência, temos medo de ficarmos velhos e feios, medo de engordar, de ficarmos calvos, e assim por diante. Apegar-se ao que está mudando e impermanente resulta em sofrimento e doença.

No intuito de fuga dos sofrimentos, alguns se apegam, ainda, à morte. Isso se expressa como niilismo e suicídio. Ansiar pela existência é um extremo. O desejo pela não existência é outro extremo. E ambos são errôneos.

Na maioria das vezes as coisas não são como pensamos, sendo preciso dar uma segunda olhada mais cuidadosa

A causa raiz do desejo e apego é ignorância e a ilusão. A ignorância é não ver as coisas como elas realmente são, ou não compreender a realidade da experiência ou a realidade da própria vida. Sem as condições certas, o treinamento certo e os instrumentos certos, somos incapazes de ver as coisas como elas realmente são. Por exemplo, nenhum de nós estaria ciente das ondas de rádio se não fosse pelo receptor de rádio. Nenhum de nós seria consciente de bactérias e micróbios em uma gota de água, se não existissem microscópios. Da mesma forma, planetas e galáxias só nos são conhecidos devido aos telescópios.

Se não disciplinarmos nossas mentes para ter calma, atenção e insight, permaneceremos ignorantes da verdadeira natureza das coisas. Caminhando durante a noite ou deitados em um quarto escuro, experimentamos medo por não conseguir distinguir um objeto cilíndrico de uma serpente. Esse objeto pode ser apenas um pedaço de corda ou uma mangueira de jardim e a forma escura em seu quarto pode ser apenas uma jaqueta em um cabide. No entanto, é devido à nossa ignorância e ilusão que ficamos com medo e aceleramos nossos passos ou nos escondemos sob nosso cobertor e transpiramos assustados. Se houvesse luz, não reagiríamos com medo, não seríamos enganados ou iludidos pelo objeto semelhante a uma cobra num ambiente escuro. Nós veríamos o pedaço de corda no jardim e o casaco como eles realmente são.

Até parece uma cobra à primeira vista, mas é apenas um caminho entre montanhas

Continua: Dukkha: Ignorância e ilusão

Fonte: An Inquiring Mind’s Journey – Bhante Kovida

Para ser notificado a cada novidade!!


Um e-mail foi enviado para confirmar sua assinatura. Verifique seu e-mail e clique em confirmar para ativar sua assinatura.

Veja Também

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn
Dukkha: Apego e o Medo #02
Classificado como:                    

Mostrar
Compartilhe
Compartilhe
Compartilhe
Canal no Youtube
Esconder
error: Este conteúdo pode ser divulgado sob permissão do autor - contato@rodadalei.com.br