Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn
Sutra do Lótus
Trecho do Capítulo XIX “Sadaparibhuta”
 
A história do Bodhisattva Sadaparibhuta (Sempre Menosprezado)
 
Ó Mahasthamaprapta, uma vez que desapareceu a Verdadeira Doutrina, estando em vias de desaparecimento a falsa aparência da Verdadeira Doutrina daquele Bhagavant que se extinguira por completo e que fora o primeiro Tathagata de todos aqueles, o Tathagata chamado Bhishmagarjitasvararaja, Arhant, Perfeitamente Iluminado, dotado de sabedoria e boa conduta, um Bem-Encaminhado, conhecedor do mundo, insuperável condutor dos homens que devem ser controlados, Mestre de Deuses e de homens, um Buda, um Bhagavant, quando sua disciplina estava ameaçada por bhiksus orgulhosos, houve um monge bodhisattva chamado Sadaparibhuta (sempre menosprezado).
 
E por que, ó Mahastamaprapta, esse bodhisattva mahasattva era chamado Sadaparibhuta? Aquele bodhisattva mahasattva, ó Mahastamaprapta, a quem quer que visse, monge, monja, devoto leigo ou devota leiga, aproximando-se, dizia-lhe assim: “Eu não os desprezo, ó Veneráveis. Vós não sois desprezados. Por que razão? Todos vós praticais a Carreira do Bodhisattva. Vós sereis tathagatas, arhants, perfeitamente iluminados”. Desta maneira, ó Mahastamaprapta, aquele bodhisattva mahasattva, convertido em monge, não realizava nenhum ensinamento, não realizava nenhum estudo – unicamente a quem quer que ele visse vindo de longe, aproximando-se, assim lhe falava; aproximando-se fosse monge ou monja, devoto leigo ou devota leiga, assim lhe dizia: “Eu não vos desprezo, irmãs. Vós não sois desprezadas. Por que razão? Todas vós praticais a Carreira do Bodhisattva. Vós sereis Tathagatas, Arhants, Perfeitamente Iluminados. E, ó Mahastamaprapta, todos aqueles a quem ele, aproximando-se, lhes falava assim, monge ou monja, devoto leigo ou devota leiga – todos eles, em sua maioria, se encolerizavam com ele, se indignavam, perdiam a calma, o insultavam o injuriavam: “Por que este monge, sem que se lhe pergunte, mostra uma atitude de não-desprezo para conosco? Ele mesmo faz que o desprezem, já que nos preanuncia a Suprema Perfeita Iluminação – o que não existe e não é desejado por nós. E então ó Mahastamaprapta, muitos anos se passaram para este bodhisattva mahasattva, assim insultado, injuriado. Mas ele não se encolerizava com ninguém, contra ninguém fazia surgir nele um sentimento de malevolência. E àqueles que o atacavam com pedras ou com paus, quando ele assim lhes falava, ele de longe, levantando a voz, lhes dizia: “Eu não os os desprezo”. E o nome de Sadaparibhuta, “O sempre menosprezado”, lhe foi dado por aqueles orgulhosos monges, monjas, devotos leitos e devotas leigas, aos quais ele constantemente assim lhes falara.
 
E então, ó Mahastamaprapta, esse bodhisattva mahasattva Sadaparibhuta, quando chegou sua hora, quando lhe chegou o momento, o instante de sua morte, escutou esta Exposição da Doutrina, o Lótus da Verdadeira Doutrina. E (…) ele compreendeu esta Exposição da Doutrina, e (…) por outras vinte centenas de milhares de milhões de milhões de anos deu a conhecer esta Exposição da Doutrina, O Lótus da Verdadeira Doutrina. E aqueles seres, orgulhosos – monges, monjas, devotos leigos e devotas leigas – a quem ele antes havia feito escutar estas palavras: “Eu não os desprezo” e que lhe haviam dado aquele nome de Sadaparibhuta, “O Sempre Menosprezado”, ao ver a excelsa Força de seu Poder Extraordinário, a Força do Poder de seus Votos e de sua Eloquência e a Força do Poder de seu Conhecimento, se converteram em seus seguidores para escutar o Dharma. E todos eles e outras muitas centenas de milhares de milhões de milhões de seres foram incentivados por ele para a Suprema Perfeita Iluminação.
 
. . .
 
Comentário:
 
Sadaparibhuta (considerado também um jogo de palavras, significando ao mesmo tempo “sempre menosprezado” e “nunca desprezar“) é um monge que adere ao ensinamento do Mahayana. De acordo com esse ensinamento, ele expressa a todos os monges, monjas, leigos e leigas que eles estão praticando a Carreira do Bodhisattva, que todos alcançarão a Suprema Perfeita Iluminação e que serão Budas – ou seja, todos eles, sem o saber, praticavam o caminho cuja meta o Budismo Mahayana prega. Os monges, etc. que não pertenciam ao Mahayana, mas ao Hinayana, se encolerizavam com ele, pois suas crenças eram diferentes, não aceitando o caminho abrangente do Mahayana. Mas ao final, aceitam a pregação de Sadaparibhuta e se convertem ao Mahayana e estão na Grande Assembleia dos Bodhisattvas.

Para ser notificado a cada novidade!!


Um e-mail foi enviado para confirmar sua assinatura. Verifique seu e-mail e clique em confirmar para ativar sua assinatura.

Veja Também

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on Google+Share on LinkedIn
Sutra do Lótus – Capítulo XIX “A história do Bodhisattva Sadaparibhuta”
Classificado como:        

Mostrar
Compartilhe
Compartilhe
Compartilhe
Canal no Youtube
Esconder
error: Este conteúdo pode ser divulgado sob permissão do autor - contato@rodadalei.com.br